Como analisar a rentabilidade de uma empresa que está à venda

A rentabilidade é um dos pontos-chave no processo de venda de uma empresa. Analisar se uma empresa que está à venda é rentável ou não é uma das formas que o investidor tem de projetar com um pouco mais de precisão quais os desafios irá enfrentar para ter o retorno do que investiu, mas principalmente para medir qual o potencial de futuro que o empreendimento possui. É o que o investidor procura e o empreendedor que está vendendo precisa trabalhar, em parceria com uma consultoria especializada como a Monteiro de Siqueira, para dar esta resposta durante a negociação.

“Ah, mas meu negócio é lucrativo”. Sim, mas já diz uma máxima do mundo dos negócios, que uma empresa lucrativa nem sempre tem uma boa rentabilidade. São coisas diferentes.

Rentabilidade é a divisão do lucro da empresa em um determinado período de tempo pelo valor do investimento inicial(também chamado de valor do negócio por incluir os custos para estruturação da empresa). O resultado será o índice de rentabilidade do negócio naquele período determinado.

Lucratividade é a divisão do lucro líquido pelo faturamento (ou receita bruta) a partir de dados financeiros que o empreendedor usa de um determinado mês.

Ou seja, a lucratividade é um percentual que indica o ganho sobre as vendas. Com o cálculo da lucratividade é possível saber se as vendas estão pagando os custos e as despesas do negócio e gerando lucro. A rentabilidade indica o percentual sobre o retorno do investimento.

Para falar de rentabilidade é sempre bom lembrar que a venda de uma empresa nem sempre é motivada por problemas. Há muitas empresas que foram vendidas ou estão à venda que possuem um bom índice de rentabilidade e ainda assim seus proprietários optaram por negociá-las. Pode ser por motivos pessoais, familiares, de saúde ou por interesse em investir em um novo negócio.

Por isso, a dica para os investidores é sempre observar com atenção todos os números da empresa à venda antes de descartar totalmente a compra. Uma boa análise poderá revelar um negócio atrativo e com resultados positivos a medida que a transição de um dono para outro ocorrer e a nova direção estiver consolidada.

Do lado de quem vende a empresa, a recomendação da Monteiro de Siqueira, como já destacada no blog, é trabalhar com transparência nos números para que o investidor tenha total confiança nas informações que está recebendo. Isso inclui certamente os dados corretos do lucro da empresa e dos investimentos realizados para que a rentabilidade seja calculada.

Rentabilidade para projetar a venda da empresa

Outro fator importante para o dono da empresa à venda é que a busca de rentabilidade deve fazer parte do dia a dia de fato e não só no discurso. Ter esta preocupação terá reflexo no futuro. Com uma boa margem de rentabilidade, o empreendedor pode avançar, tomar decisões mais ousadas e até migrar de ramo, vendendo a empresa – rentável – para gerar capital e abrir ou comprar um novo negócio. Buscar a rentabilidade, acertando nos investimentos e nas ações de gestão, portanto, é também buscar a tranquilidade para dar novos passos.

A rentabilidade ou a falta dela também pode ser a causa para que um empreendedor decida passar o negócio adiante. Mas ter uma empresa com pouca rentabilidade não tem relação direta ao negócio em si. O ponto comercial pode ser bom, a marca pode ter boa penetração, o mercado em que atua pode estar aquecido, mas o empreendedor pode ter errado na gestão, tomado decisões, como investimentos mal planejados, e isso pode ser a chave para uma queda na rentabilidade. Pense em como fica confuso numa negociação apresentar uma série de dados positivos que é um bom investimento, mas na hora de mostrar a rentabilidade, fica devendo.

Uma das formas de trabalhar focado no aumento da rentabilidade é montar um mapa de acompanhamento do percentual. Escolha o período e passe a analisar os números para ter como medir o resultado das ações realizadas e do que deixou de ser feito ou o que pode ser feito para que o índice esteja num estágio adequado. Isso pode ser feito também para planejar a venda da empresa, caso este seja seu objetivo a médio ou longo prazo.

Quer saber mais sobre rentabilidade e negociação? Entre em contato com a Monteiro de Siqueira.

 

Anúncios

Sob nova direção: 3 primeiros passos para iniciar as operações do negócio que acabei de comprar

Investir em uma empresa já instalada traz uma série de vantagens, especialmente quando a aquisição é feita por intermédio de uma consultoria, como é o caso da Monteiro de Siqueira. A compra com o suporte especializado dá mais segurança ao processo por ter a transparência nas informações e a possibilidade de confirmação dos dados financeiros do negócio como pontos-chave para o fechamento do negócio, oferecendo assim menor risco ao empresário que está investindo.

Mas assim que o negócio é concretizado e passa para a nova direção, o novo proprietário, independentemente se já possui experiência no ramo ou não, precisa tomar algumas providências. Listamos a seguir três dessas providências, que podem ser considerados os primeiros passos para iniciar as operações do novo negócio.

Avaliar a infraestrutura

Como destacado acima, fechar negócio com o apoio de uma consultoria especializada já é um passo importante para que o retorno com o investimento seja alcançado. Mas ainda assim, independentemente do ramo de atuação, quando iniciar as operações, faça uma avaliação detalhada sobre a estrutura do negócio que comprou e seus ativos.

Por estrutura entende-se desde questões como decoração, mobiliário, apresentação visual, frota de veículos, computadores, prateleiras, software de gestão, maquinários… A conclusão após a avaliação pode ser que não há necessidade de investir em estrutura neste primeiro momento. Mas se houver, liste quais são as prioridades. Sendo prático na escolha do que irá fazer, opte por investir em itens da estrutura que influenciam diretamente no resultado do negócio e contribuem para geração de caixa e a longevidade da empresa.

Conhecer a clientela

Na compra do negócio, as informações sobre o público-alvo são essenciais. Verifica-se isso pelos dados dos clientes e também pelo ramo de atuação e pela própria localização do negócio. Temos boas pistas sobre quem é a cliente a partir do que é comercializado e do movimento no entorno do estabelecimento.

Mas o recomendado é que no início das operações, o novo proprietário crie formas de obter mais informações sobre a clientela. Para empreendimentos de menor porte, que funcionam em bairros, por exemplo, circular pela vizinhança, conversar com outros empresários, pode render bons insights sobre o público que deve mirar.

Em outros negócios, pequenos questionários podem ajudar. Case a pesquisa com alguma recompensa. O que você pode dar em troca por no máximo cinco perguntas? Procure ser direto nas perguntas. A ideia é captar o essencial, aquilo que possa ajudar a identificar hábitos, grau de interesse. Esta ação é possível de ser executada de formas variadas: no próprio estabelecimento, em eventos como feiras e exposições ou online com a ajuda de ferramentas como os formulários grátis do Google.

Divulgar as novidades

Muitos empreendedores quando assumem a gestão de um novo negócio costumam avisar que o mesmo agora está “sob nova direção”. Em alguns, que fazem atendimento direto ao consumidor final, é comum aparecer uma faixa pendurada junto à fachada do estabelecimento. Mas será essa a melhor estratégia para divulgar a mudança? Pode ser um tiro no pé.

Como já vimos aqui no blog da Monteiro de Siqueira, a venda de um negócio pode ter inúmeros motivos. Mas ao ver a faixa do “sob nova direção”, a primeira coisa que o público pensa é que o negócio não estava dando certo, que o produto ou serviço oferecido não era bom e que por isso o antigo dono precisou passar o ponto.

Procure ser criativo ao comunicar as novidades do negócio sem que precise estender uma faixa “sob nova direção”. Crie promoções, use as redes sociais, fidelize os clientes atuais para que eles sejam “embaixadores” da novidade.
Não precisa dar detalhes sobre a negociação, mas aponte sempre os pontos positivos da mudança, o que pretende fazer, o que tem a oferecer a partir da decisão de investir no empreendimento. Ou seja, em vez da decisão de venda do antigo proprietário, valorize a sua decisão de comprar o negócio e torná-lo melhor.

Quer conhecer oportunidades de negócios e saber mais sobre como adquirir uma empresa? Consulte a Monteiro de Siqueira.