Onde está o comprador da minha empresa

onde está o comprador da minha empresa

A decisão está tomada: você quer vender sua empresa. Como já destacado por nós, o simples desejo de vender a empresa não basta. É preciso estar atento e seguir um roteiro de preparação para que o resultado final seja um ótimo negócio. Depois de todas as etapas cumpridas chega o momento de localizar potenciais compradores e é aí que o desafio aumenta.

Evite classificados e “passo o ponto”

Uma coisa é certa: compradores não caem do céu. Por isso, é preciso estudar e estabelecer a estratégia de divulgação da venda que seja mais indicada ao negócio. Muitos ainda usam formas tradicionais como anúncio em classificados de grandes jornais ou apelam para faixas tipo “passo o ponto” na frente do estabelecimento. Neste caso, vale a reflexão:

– Independentemente do tipo de negócio, o classificado é o meio adequado ou seria mais interessante buscar canais mais segmentados para atingir um público que possa ter um interesse de fato em investir?

– Sobre a faixa na frente do estabelecimento, a reflexão é o quanto isso desvaloriza o negócio e o próprio ponto porque quem vê de fora e não sabe os motivos da venda tende a pensar que trata-se de uma medida extrema de quem não deu conta de construir um empreendimento de sucesso.

É preciso destacar sempre que anunciar a venda de uma forma ampla e aberta, sem muito filtro e controle sobre quem irá receber a informação, pode ser duplamente ruim. Primeiro, porque pode resultar em ofertas de compra com valores e condições de pagamento abaixo do desejado. E segundo, pode se espalhar uma boataria negativa a respeito do motivo pelo qual a empresa está a venda. Insinuações a respeito de dificuldades financeiras são as mais comuns.

Entidades e internet

Para as duas situações acima, uma das boas alternativas pode estar na entidade que congrega empresas do mesmo setor de atuação. Em muitas, é comum haver um espaço nos informativos para a divulgação de negócios entre empresas, incluindo anúncios de vendas.

Verifique se a entidade empresarial a qual você é associado não faz divulgação deste tipo de negócio, veja como proceder (formato, quantidade de informações, possibilidade de fotos, etc.) e não perca esta oportunidade. O seu comprador pode ser um dos seus concorrentes, fornecedores ou até mesmo cliente. O importante é realizar a abordagem de forma correta.

Outra possibilidade é utilizar a internet para divulgar a venda. A sugestão é criar uma página para divulgar as principais características do negócio e recorrer às plataformas de publicação de anúncios de sites como Google (Google AdWords) e Facebook (Facebook Ads). A boa relação custo-benefício é um atrativo no uso desses canais. E o melhor é a possibilidade de direcionar o anúncio para um público específico, selecionando áreas de atuação, localização geográfica e idade, além de também permitir a exibição mediante a “compra” de palavras-chave.

Apoio especializado

No processo de localizar o potencial comprador, é preciso saber como divulgar, mas também saber qual a melhor abordagem. Seja qual for o motivo da venda, o empresário-vendedor deve apresentar a oferta com transparência, listando os pontos fortes e fracos da empresa e dando amplo acesso ao comprador às informações da empresa que está a venda.

É para afinar questões como essa que é recomendado buscar o apoio de uma consultoria especializada como a Monteiro de Siqueira. Uma das vantagens neste caso é que o trabalho da consultoria é mais focado em quem realmente está interessado em investir. E o mais importante: profissionais como o da Monteiro de Siqueira têm facilidade de acesso a investidores, além de todo o know-how para chegar ao comprador certo, com a melhor oferta, apresentar da forma mais profissional e “vendedora”.

Quer saber mais sobre preparar sua empresa para venda para partir para a localização dos compradores? Baixe o e-book exclusivo da Monteiro de Siqueira.

Anúncios

Comprar empresas não é só para os grandes

compra de empresas

Engana-se quem pensa que adquirir uma empresa em funcionamento é negócio exclusivo para grandes investidores ou grandes grupos empresariais. Esse mercado também engloba as pequenas e médias companhias, por isso há boas opções de investimentos para todos os bolsos. 

Os bancos disponibilizam várias linhas de financiamento que permitem ao comprador levantar recursos para a aquisição. Outra opção é parcelar a compra da empresa com o próprio empresário vendedor, diluindo, assim, ao longo de um ou dois anos, o valor do desembolso.

A vantagem de apostar nessa estratégia de aquisição é a possibilidade de pagar as despesas com o faturamento da empresa. Nesse caso, geralmente o comprador dá uma entrada de cerca de 30% ou 40% do valor total da empresa e parcela o saldo restante. Assim, é possível pagar a aquisição com a própria geração de caixa do negócio, o que deixa o comprador numa situação financeira mais confortável, já que não será necessário se descapitalizar por completo para realizar a aquisição.  A ideia com esse tipo de estratégia é que o próprio empreendimento tenha a capacidade de se pagar, permitindo que o comprador mantenha uma reserva de capital para investimentos futuros ou para situações de emergência.

É preciso estar atento às oportunidades que o mercado oferece para crescer de forma rápida e menos custosa. A atual situação econômica do País não favorece arriscar-se na abertura de novas empresas, mas, com visão empreendedora, é possível identificar bons negócios disponíveis para aquisição. Assim, nesse cenário de incertezas, o mais indicado e seguro é comprar uma empresa em funcionamento, que já está consolidada e que atravessará o momento de crise com menos riscos do que um novo negócio.

Por Felipe Monteiro de Siqueira, administrador de empresas e diretor da Monteiro de Siqueira Business Brokers, de Florianópolis.

Tornar-se atrativo favorece o interesse de investidores e facilita a venda da empresa

Na última semana, a companhia holandesa de alimentação animal Nutreco comprou duas empresas brasileiras do mesmo ramo, a Fatec e a BRNova. Segundo a multinacional, a compra elevou as receitas provenientes do país em quase 70%, como parte de sua estratégia de expansão em mercados emergentes de rápido crescimento.

A compra de pequenas e médias empresas por investidores ou multinacionais passou a ser um negócio muito lucrativo, especialmente para empresas brasileiras. E por que o interesse de grupos estrangeiros nas empresas nacionais? Quais são as razões que levam esses investidores a comprar uma empresa em atividade?

Entre os motivos, além da expansão, destaco conhecimento do mercado local, relacionamento já existente com o consumidor final e a segurança de se comprar um negócio já existente, com resultado e rentabilidade comprovada estão entre os principais motivos para este movimento crescente de aquisições de empresas.

A venda de empresas não funciona apenas para negócios em crise financeira ou com problemas de gestão, pelo contrário. A venda de empresas é ainda mais atrativa quando a empresa que será adquirida é próspera e reconhecida no mercado. Por isso, reforço a importância de uma pequena e média empresa se posicionar no mercado, ter uma marca consolidada, ter as finanças organizadas e, consequentemente, ser um negócio atrativo e lucrativo. Busque a inovação do seu negócio e tenha um propósito.

Nunca se sabe quando uma boa oportunidade de compra vai bater na sua porta. Quando isso acontecer, informe-se com um profissional qualificado que vai orientá-lo para tomar as melhores decisões e realizar o melhor negócio!

Por Felipe Monteiro de Siqueira, administrador de empresas e diretor da Monteiro de Siqueira Business Brokers, de Florianópolis.