3 dicas fundamentais para vender sua empresa

Para vender sua empresa, não basta estabelecer o preço que deseja receber e divulgar nos canais que considera mais indicados. O processo não é tão simples. E pede de quem vende uma visão mais ampla sobre a negociação com potenciais compradores. Coloque-se no lugar deles: basta saber o preço? Não precisa compreender o porquê do valor? E para pagar, como faz? Quais as chances de uma postura assim, de pouco preparo e informações, pode atrair e conquistar um investir?

Com o objetivo de tornar a venda mais atrativa, recomenda-se ao empresário que siga pelo menos 3 passos fundamentais. São eles:

PASSO 1 – Preço definido e justificado através de uma avaliação combinada de fluxo de caixa e ativos que a empresa possui.

O interesse do potencial comprador pode surgir por fatores como ramo de atuação e localização. Mas é na ponta do lápis e na calculadora que a venda irá se desenrolar. É por isso que ele precisa entender em detalhes como se chegou ao preço que está sendo cobrado. É dessa maneira que o comprador poderá estimar o retorno que irá obter sobre o seu investimento. Dar a ele esta possibilidade, com clareza e transparência, fortalece a posição do vendedor para chegar ao valor que deseja ou mais próximo ao que pediu no início das negociações.

PASSO 2 – Forma de pagamento flexível que possa ampliar o universo de potenciais compradores.

Com o intuito de facilitar a venda e ampliar o leque de potenciais compradores é importante que o vendedor ofereça ao potencial comprador a possibilidade de pagar pela compra da empresa de forma parcelada. O que ajudo muito é já ter pré-definido qual pode ser a forma de pagamento, sempre estabelecendo um limite do quão elástico poderá ser o pagamento até para que não se torne um negócio ruim.

Não é preciso chegar à mesa de negociação e logo na primeira conversa definir a forma de pagamento. A flexibilidade é um atrativo para quem quer comprar, mas também uma carta na manga que pode ser colocada na mesa por quem vende de acordo com o rumo que a negociação tomar. Por exemplo, o preço de venda de uma empresa é de R$ 500 mil. Você pode entrar na negociação com uma ideia de fechar a venda aceitando uma entrada de R$ 260 mil e parcelamento em 30 vezes de R$ 8 mil mensais. Mas quem sabe não possa haver abertura na negociação para uma entrada maior ou para um número de parcelas menor, de maior valor mensal? Esteja atento e flexível.

PASSO 3 – Permitir que o potencial comprador possa auditar os números da empresa e sua estrutura.

Em tempos de incertezas no cenário econômico, os investidores com toda a razão estão muito mais seletivos e procuram se cercar de muitas informações antes de qualquer movimentação para evitar a perda de dinheiro em negócios ruins. Por isso, é importante o interessado em vender sua empresa deve ter uma postura pró-ativa desde o início das negociações, abrindo a possibilidade do investidor fazer sua própria auditoria.

A checagem in loco de documentos e informações financeiras repassados pelo dono da empresa à venda dá maior segurança ao investidor. O mesmo vale para uma análise da estrutura da empresa. Tudo isso reforça a credibilidade do vendedor, o que pode não só agilizar o processo como pode, somado ao preço bem justificado e ao pagamento flexível gerar um ótimo negócio. Mas é importante destacar que para que a auditoria seja um fator de sucesso no negócio, a empresa precisa estar com tudo em dia e muito bem organizado. Sem isso, a checagem terá um efeito contrário e em vez de atrair irá espantar o investidor.

Para saber mais sobre o processo de venda da empresa, faça download do nosso e-book “Como preparar sua empresa para a venda”.

Anúncios