Negócio de família: quando a saída é vender

Muitas das grandes e pequenas empresas do País são administradas por famílias. Especialmente em Santa Catarina, a tradição familiar nos negócios é bastante frequente. Geralmente são empresas abertas pelo avô ou pelo pai que acabaram prosperando e se transformando em fonte de renda e emprego para toda a família. Em alguns casos, crescem tanto que se tornam grandes companhias, com centenas de funcionários.

Mas quando o pai é chefe, o irmão é sócio e a tia é colega de trabalho, alguns problemas podem ter dimensão diferente do que teriam em uma empresa sem esses graus de parentesco. Primeiro porque a mistura de relações e papéis pode, muitas vezes, não ser benéfica para nenhuma das duas coisas: nem a família, nem os negócios. É preciso ter habilidade e um bom jogo de cintura para deixar a família fora da empresa e as divergências do trabalho para serem resolvidas apenas na hora do expediente.

Outros conflitos são aqueles que afetam qualquer sociedade, mas que por envolver sentimentos e relações mais profundas, podem alcançar proporções maiores. Também pode acontecer o contrário, quando os conflitos familiares chegam ao trabalho, reforçando a ideia de que misturar relações de parentesco com negócios é uma fórmula, que se não for bem administrada, pode se tornar um problema e ameaçar o futuro da empresa.

Também é comum os membros da família decidirem seguir rumos diferentes que os da empresa. Muitas vezes os pais sonham com o filho assumindo o negócio que eles fundaram, mas o herdeiro não tem interesse e quer seguir outro caminho profissional.

Falta de sucessores, divergências profissionais, conflitos familiares, tudo isso muitas vezes desgasta a família e também deixa consequências na empresa.  Nesses casos, a venda do negócio com boa saúde, em um bom momento, pode permitir que cada um siga seu caminho e seja feliz. Nesses momentos, contar com um consultor especializado em compra e venda de empresas é fundamental para fazer um negócio transparente que concilie os interesses de todos os envolvidos. Assim, cada um poderá correr atrás de seus interesses profissionais e a família não deixará de ser o que é.

Se houver interesse, solicite uma consultoria gratuita sobre compra e venda de empresas clicando aqui.

Escrito por Felipe Monteiro de Siqueira, administrador de empresas e diretor da Monteiro de Siqueira Business Brokers, de Florianópolis.

Anúncios

Como preparar sua empresa para a venda – Parte I: Diagnóstico administrativo e comercial

venda de empresa

A preparação de uma empresa para a venda envolve uma série de etapas e, para que seja feita de forma transparente e vantajosa para todas as partes, deve ser executada por profissionais especializados e com experiência na área. Os métodos envolvidos nesse processo devem resultar em negócios seguros e lucrativos para quem compra e para quem vende, mantendo o sigilo e protegendo o nome da empresa cuja oferta de venda é lançada no mercado.

Nessa etapa inicial, as palavras-chave são planejamento e estudo. É necessário que o empresário se cerque de profissionais capazes de fazer um levantamento completo e um diagnóstico situacional da empresa nas áreas jurídica, contábil, fiscal, financeira, administrativa e comercial. Neste primeiro post vamos abordar o diagnóstico da parte administrativa e comercial da empresa.

O trabalho inicia com um levantamento completo de dados a respeito de estrutura, organograma, funcionamento, processos gerenciais e de outras informações importantes para a confecção do diagnóstico. Após esse levantamento, as informações são consolidadas, analisadas e passam a compor o Teaser, que é o documento que serve para divulgar a venda da empresa ao mercado, mas sem a informar o nome da companhia.

Depois que os potenciais compradores são selecionados por meio de um estudo preliminar, inicia-se a etapa de prospecção e apresentação do negócio para os interessados que estiverem qualificados para adquirir a empresa. Nessa etapa, o Business Book é apresentado aos potenciais compradores mediante a assinatura de um acordo de confidencialidade que prevê sanções e protege a empresa que está à venda. Esse documento é mais completo que o Teaser e fornece as informações necessárias para que o candidato à compra possa compreender todos os aspectos relativos ao negócio e que facilitem a tomada de decisão.

Na próxima semana, falaremos sobre outra etapa importante na preparação de uma empresa para a venda: a auditoria contábil.

Ficou interessado nesse assunto? Solicite uma consultoria gratuita!

Escrito por Felipe Monteiro de Siqueira, administrador de empresas e diretor da Monteiro de Siqueira Business Brokers, de Florianópolis.

Saiba quando vender sua empresa

venda de empresas

Os dados já são bem conhecidos: de cada cem empresas criadas no Brasil, 24 fecham as portas antes de completar dois anos de atividade, de acordo o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae). Além das jovens empresas, outras com mais tempo de mercado também deixam de operar no País todos os anos. E com as portas que se fecham, empregos são perdidos, investimentos são desperdiçados, e o empreendedor, além de perder sua fonte de renda e abandonar seu sonho, muitas vezes ainda acumula dívidas para pagar.

Os motivos são variados e envolvem desde carga fiscal elevada, juros altos, desconhecimento do mercado, deficiências na gestão, falta de planejamento, dificuldades provocadas pela conjuntura econômica e até problemas pessoais dos proprietários.

O fato é que muitos desses prejuízos poderiam ser ao menos minimizados se, antes de deixar a situação tornar-se irreversível, o empresário souber identificar o momento certo de vender seu negócio. Muitos empreendedores sequer sabem que o mercado está cheio de investidores interessados em adquirir empresas já estabelecidas. Para eles, a companhia cujos rumos, para o proprietário, parecem incertos no longo prazo, pode ser uma grande oportunidade de negócio. Entre os benefícios para o comprador estão economia de tempo, marca constituída, histórico financeiro e faturamento imediato, histórico e crédito com fornecedores, treinamento personalizado e disponibilidade de financiamento para a aquisição do negócio.

Mas para atrair um investidor, é preciso ajustar a rota do barco para que ele siga seu curso com sucesso, olhando sempre adiante, e jamais esperar que ele comece e perder velocidade e muito menos afunde. Isso porque a venda é ainda mais atrativa quando a empresa é próspera. Para que uma companhia desperte o interesse de compra, ela precisa estar com fluxo de caixa saudável, ter uma marca consolidada, as finanças organizadas e buscar a inovação. Ela precisa ser vendida em momento de alta, pois quando a água começar a avançar pelo convés, ninguém mais vai se interessar na compra.

Vendida em boas condições, a empresa será comandada por um novo capitão, motivado e capaz de conduzi-la pelo caminho do sucesso. E o antigo dono não estará afogado em dívidas – pelo contrário, terá o dinheiro da venda para usar como bote salva-vidas e buscar um novo destino.

Ficou interessado no assunto? Solicite uma consultoria gratuita: clique aqui.

Escrito por Felipe Monteiro de Siqueira, administrador de empresas e diretor da Monteiro de Siqueira Business Brokers, de Florianópolis.

 

Quer vender sua empresa e não sabe como proceder?

De repente, você se dá conta que precisa vender sua empresa (ou porque está cansado, ou não tem sucessores, ou por divergências societárias, ou está com dificuldades e sobrecarregado na gestão de seus negócios). Qualquer que seja o motivo da venda, é importante que você saiba que vender uma empresa é um negócio lucrativo e tem crescido a cada ano.

E qual o procedimento para vender a empresa? Primeiramente, procure um agente de negócios, que é o profissional que dará todas as orientações e suportes para a transação. Em seguida, organize e separe toda a documentação a respeito do funcionamento da empresa, além de relatórios financeiros auditáveis.

Até a finalização da venda muitas informações e dados serão analisados e solicitados pelo consultor. Realizamos uma prospecção ativa de potenciais compradores sempre resguardando e protegendo o nome da empresa à venda. Por isso, aqui na Monteiro de Siqueira, a confidencialidade é fator decisivo, tanto para quem vende quanto para quem compra uma empresa. O negócio é visto sob vários pontos de vista e, na etapa final, o empresário estará munido de todos os dados necessários para a compra, além de cenários de mercado, viabilidade, impactos e riscos financeiros para tomar a melhor decisão.

Vale lembrar, inclusive, que comprar uma empresa em atividade é mais vantajoso e seguro que começar um negócio do zero.

 Felipe Monteiro de Siqueira é administrador de empresa e Diretor da Monteiro de Siqueira Business Brokers