Como analisar a rentabilidade de uma empresa que está à venda

A rentabilidade é um dos pontos-chave no processo de venda de uma empresa. Analisar se uma empresa que está à venda é rentável ou não é uma das formas que o investidor tem de projetar com um pouco mais de precisão quais os desafios irá enfrentar para ter o retorno do que investiu, mas principalmente para medir qual o potencial de futuro que o empreendimento possui. É o que o investidor procura e o empreendedor que está vendendo precisa trabalhar, em parceria com uma consultoria especializada como a Monteiro de Siqueira, para dar esta resposta durante a negociação.

“Ah, mas meu negócio é lucrativo”. Sim, mas já diz uma máxima do mundo dos negócios, que uma empresa lucrativa nem sempre tem uma boa rentabilidade. São coisas diferentes.

Rentabilidade é a divisão do lucro da empresa em um determinado período de tempo pelo valor do investimento inicial(também chamado de valor do negócio por incluir os custos para estruturação da empresa). O resultado será o índice de rentabilidade do negócio naquele período determinado.

Lucratividade é a divisão do lucro líquido pelo faturamento (ou receita bruta) a partir de dados financeiros que o empreendedor usa de um determinado mês.

Ou seja, a lucratividade é um percentual que indica o ganho sobre as vendas. Com o cálculo da lucratividade é possível saber se as vendas estão pagando os custos e as despesas do negócio e gerando lucro. A rentabilidade indica o percentual sobre o retorno do investimento.

Para falar de rentabilidade é sempre bom lembrar que a venda de uma empresa nem sempre é motivada por problemas. Há muitas empresas que foram vendidas ou estão à venda que possuem um bom índice de rentabilidade e ainda assim seus proprietários optaram por negociá-las. Pode ser por motivos pessoais, familiares, de saúde ou por interesse em investir em um novo negócio.

Por isso, a dica para os investidores é sempre observar com atenção todos os números da empresa à venda antes de descartar totalmente a compra. Uma boa análise poderá revelar um negócio atrativo e com resultados positivos a medida que a transição de um dono para outro ocorrer e a nova direção estiver consolidada.

Do lado de quem vende a empresa, a recomendação da Monteiro de Siqueira, como já destacada no blog, é trabalhar com transparência nos números para que o investidor tenha total confiança nas informações que está recebendo. Isso inclui certamente os dados corretos do lucro da empresa e dos investimentos realizados para que a rentabilidade seja calculada.

Rentabilidade para projetar a venda da empresa

Outro fator importante para o dono da empresa à venda é que a busca de rentabilidade deve fazer parte do dia a dia de fato e não só no discurso. Ter esta preocupação terá reflexo no futuro. Com uma boa margem de rentabilidade, o empreendedor pode avançar, tomar decisões mais ousadas e até migrar de ramo, vendendo a empresa – rentável – para gerar capital e abrir ou comprar um novo negócio. Buscar a rentabilidade, acertando nos investimentos e nas ações de gestão, portanto, é também buscar a tranquilidade para dar novos passos.

A rentabilidade ou a falta dela também pode ser a causa para que um empreendedor decida passar o negócio adiante. Mas ter uma empresa com pouca rentabilidade não tem relação direta ao negócio em si. O ponto comercial pode ser bom, a marca pode ter boa penetração, o mercado em que atua pode estar aquecido, mas o empreendedor pode ter errado na gestão, tomado decisões, como investimentos mal planejados, e isso pode ser a chave para uma queda na rentabilidade. Pense em como fica confuso numa negociação apresentar uma série de dados positivos que é um bom investimento, mas na hora de mostrar a rentabilidade, fica devendo.

Uma das formas de trabalhar focado no aumento da rentabilidade é montar um mapa de acompanhamento do percentual. Escolha o período e passe a analisar os números para ter como medir o resultado das ações realizadas e do que deixou de ser feito ou o que pode ser feito para que o índice esteja num estágio adequado. Isso pode ser feito também para planejar a venda da empresa, caso este seja seu objetivo a médio ou longo prazo.

Quer saber mais sobre rentabilidade e negociação? Entre em contato com a Monteiro de Siqueira.

 

Anúncios

A venda de empresas na atual crise do Brasil

Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

O Brasil vem atravessando uma grave crise na esfera política e econômica. Não é de hoje que estamos vivendo este cenário com nuvens carregadas que mistura incerteza e até uma certa paralisia em diversos setores da sociedade. Justificável porque diante de uma conjuntura como a que vivemos, como saber se estamos tomando as decisões certas? Isso certamente atrapalha, mas não pode impedir os negócios entre empresas e investidores. Muito pelo contrário,  este cenário de crise tem estimulado fortemente o mercado de vendas e aquisições de empresas já que o preço dos ativos no Brasil sofreu uma forte queda no último ano, o real desvalorizou-se frente ao dólar e isto impacta diretamente no preço de mercado das empresas. Desta forma, investidores têm aproveitado as oportunidades que a crise proporciona para adquirir empresas em condições vantajosas.

Com o apoio de consultor especializado é possível que o empresário aproveite este momento favorável às aquisições e assim possa realizar um bom negócio, seja vendendo uma parte de sua empresa (uma filial, por exemplo) para se recapitalizar ou até mesmo a totalidade do negócio. Para isto, é importante que o empresário prepare de forma adequada sua empresa para enfrentar o processo de venda. Assim, se faz necessário tomar algumas iniciativas como o estudo de avaliação do negócio que definirá o valor de mercado da empresa e seu preço de venda.

Cumprida esta etapa de preparação e com o preço de venda definido chega o momento de partir para a busca do comprador – tarefa a ser executada pelo agente de negócios contratado. É este profissional que irá produzir os instrumentos adequados para buscar o comprador e coordenar todo o processo que envolve a venda da empresa. Neste momento de crise que o país atravessa, o empresário precisa compreender que de uma maneira geral os ativos vêm perdendo valor e que sua empresa também é afetada. Assim, é importante que o empresário tenha flexibilidade e bom senso durante o processo de negociação para obter um bom acordo na venda de seu negócio.

Para saber mais, consulte a Monteiro de Siqueira.

3 dicas para vender sua empresa em 2016

office-594132_1920

Para muita gente, 2016 só está começando efetivamente agora, no mês de março, o que é um mau negócio para um ano que, na avaliação de muitos analistas, é de incertezas no cenário econômico. Mas ainda dá tempo de planejar e fazer bons negócios no decorrer do ano. E isso vale inclusive para quem deseja vender sua empresa.

Neste cenário, o desafio será maior, mas não impossível. E para alcançar o objetivo e vender bem a empresa, será preciso inovar e ser criativo na formulação da proposta para conquistar um comprador que está do outro lado do balcão, mas sob o mesmo clima de desconfiança quanto à economia em 2016.

Para ajudar neste desafio, confira 3 dicas para vender sua empresa neste ano.

Pesquisa e análise

A decisão de vender a empresa precisa incluir uma análise sobre o cenário político-econômico até para reunir argumentos que possam driblar qualquer traço de pessimismo. Sempre haverá o outro lado, o dos otimistas, que enxergam na crise um campo de oportunidades, a chance única de empreender e surpreender.
Para isso, reúna informações sobre o segmento de atuação da empresa que deseja vender. Pesquisa em fontes variadas – veículos especializados, fontes oficiais e dados de entidades ligadas ao setor de atuação da empresa. É desta pesquisa que você irá obter as informações que ajudarão a formatar o “pacote de venda”, com os argumentos que ajudem o comprador a decidir por sua empresa.

Nesta avaliação de cenário, é importante incluir também uma análise sobre itens que fazem parte do “menu de avaliação” do comprador como a localização da empresa. Isso vale para negócios de diferentes ramos de atividade. No varejo, por exemplo, diga como é a circulação de público ou como é o posicionamento em relação aos concorrentes. No caso de indústrias, importante observar as questões de logística (qualidade das estradas, proximidade de portos, aeroportos e ferrovias).

Pense como o comprador

Coloque-se no lugar do candidato a comprador. Ou seja, pense como um empreendedor que deseja ser dono do próprio negócio ou que deseja expandir seu raio de investimentos. Não esqueça que estamos em um cenário de incertezas, o que é bem diferente de quando o momento do mercado é positivo e as perspectivas são as melhores possíveis.

Procure responder a pergunta “por que comprar uma empresa de tal segmento em 2016?”. Seja realista e racional na busca por esta resposta para desenhar todas as motivações que possam levar até a concretização do negócio, tendo como objetivo atender as expectativas do comprador.

Importante: este não é um exercício de adivinhação. É um exercício que deve ser baseado na sua experiência e nas informações que foram reunidas sobre o segmento e sobre a conjuntura econômica.

Seleção de atrativos

Lembre-se que os empreendedores tendem a ser mais seletivos em tempos de incertezas no cenário econômico – em especial, os mais otimistas. A preparação da oferta precisa, portanto, incluir atrativos que a diferenciem de outras oportunidades – seja a compra de outra empresa, seja a opção de abrir uma empresa do zero.

Mais uma vez, não deixe de incluir também sua visão pessoal do empreendimento. Adicione informações que sejam fruto da sua experiência à frente do negócio até para saber responder com firmeza a pergunta sobre os motivos para a venda.

E ajuda muito neste processo, apresentar uma espécie de “dossiê” em que estejam reunidas informações sobre a repercussão da empresa na mídia. Visibilidade e exposição da marca são fatores que podem definir uma compra, principalmente quando a inserção na mídia ocorre de forma espontânea via reportagem ou via menções em redes sociais.

Dica extra

Para saber mais sobre como vencer o desafio de vender sua empresa em 2016, acesse o site da Monteiro de Siqueira e faça contato.